domingo, 16 de dezembro de 2007


Mas não é que todas as coisas sucumbiram no automático,e foram peças indo pelo ralo?É imprevisivel que isso aconteça,mas o que poderiamos prever seria o que nunca poderiamos enxergar por razão da ilusão transitória entre realidade-razão que nos trazemos em sonhos.Nada além de sonhos.Paro por aí,nada de sonhar antes que a matéria-prima me surpreenda em frente a minha porta. Não que seja comodidade,apenas precaução e poupa-tempo.Não mantenha expectativas de algo que se torna sempre perigoso. Não é pra ninguem entender ou manter expectativas disso tudo. Só quero gozar de enorme felicidade,aquilo que prometemos no Senhoritas certo?Aí chegamos ao fim do ano.

Um comentário:

skodfka disse...

pois é. gozar (literalmente) da felicidade, alheia (sua, minha) ou não.